Os Animais

Fala de suas mascotas e animais de estimação. Fala de experiências que já teve com eles. Fala também de sugestões que daria para alguém que vai cuidar de um animal.

Vídeos de Conversa Brasileira

Video 01: Adoro cachorros 1

Video 02: Adoro cachorros 2

Vídeos de Portuguese Communication Exercises

Bom, para começar, aqui tem o site com os vídeos do Orlando em que o Flávio (São Paulo), o Ricardo (São Paulo), a Patrícia (Salvador) e a Larissa (Rio de Janeiro) falam de animais de estimação.

http://www.laits.utexas.edu/orkelm/ppe/adv04.html

Vídeos dos alunos da aula

1. James, Leonel, Monica (Fall 07): O menino e seu animal

2. Lisa, Ryan, Daniel, Daniel (Fall 07):  Nossas mascotas favoritas

3.  Eduardo, Ebony, Lorena, Clyde, Shannon (Fall 08): A lenda do boto

4. Christina, Daniel, Jennifer, Marina, Swetha (Spring 10): Os animais que atacam

5. Barbara, Ben, Carmen, Joshua, Preston (Spring 10): Nova mascota

6. James, John, Marcela, Meleena (Spring 11): Entrevista com lo

Advertisements

Tags: , ,

8 Responses to “Os Animais”

  1. Orlando Says:

    Nossas mascotas favoritas.

    Lisa: Você tem algum animal de estimação?
    Monzingo: Tenho, sim. Tenho um gatinho que se chama Beowulf.
    Lisa: Eu tenho uma coelha que se chama Pandora.
    Monzingo: É muito pequena?
    Lisa: Não, ela é uma coelha muito grande.
    Monzingo: É?
    Lisa: É. Quer conhecê-la?
    Monzingo: Claro que sim.
    Kietzer: Oi!
    Lisa e Monzingo: Oi!
    Kietzer: Eu só vim aqui dizer oi. Berta está doente. Eu vou levar ela para o hospital.
    Lisa: Quem é Berta?
    Kietzer: Berta é minha ursa.
    Monzingo: Cadê ela?
    Kietzer: Aquí.

  2. Orlando Says:

    Estamos numa loja de animáis de estimacão. Eu sou a mãe, ele é o menino, meu filho e ele vai comprar um animal. Vamos.
    Menino: Mãe, gosto deste cachorro. Você gosta?
    Mãe: Pode ser.
    Cachorro: Compre-me. Serei seu companheiro, faria tudo e seria seu melhor amigo.
    Menino: Eu quero o cachorro.
    Mãe: Não, é muita responsabilidade ter um cachorro. Eles despelem muito, você tem que ensinar como fazer xixi fora, tem muita baba. Não, cachorro não.
    Menino: Está bom. Ah, um serpente, eu gosto, mãe. Podemos levar?
    Serpente: Vou afugentar seus inimigos. Comerei todas as ratas que venham perto da casa. Você não tem que me banhar.
    Menino: Está bom, mãe, podemos levar?
    Mãe: Serpente não. Tenho muito medo. O que é que vou fazer si ele me morder ou se morder você? Além disso você tem que alimentar com ratas.
    Menino: Está bom, mãe. Um gatinho. Podemos levar?
    Gatinho: Sou muito independente. Não despelo nada.
    Mãe: Eu soy alérgica aos gatos. Eles fugem muito e não são muito bons companheiros.
    Menino: Está bom. Um peixe! Eu gosto do peixe!
    Mãe: Pode ser.
    Peixe: Sou bonito e você não tem que me cuidar muito.
    Menino: Quero muito. Tenho muito dinheiro.
    Mãe: Quanto dinheiro você tem?
    Menino: Não sei, tenho muito.
    Mãe: Você vai cuidar do peixe?
    Menino: É muito bom.
    Mãe: Tem que alimentar todos os dias.
    Menino: Eu levo o peixe.
    Mãe: Tá, vamos levar o peixe.

  3. Clyde Sheble Says:

    Transcrição da Lenda do Boto
    Narrador: No estado Amazonas, morava uma família de pescadores. Um dia, durante as festas Juninas, o pai da família, Jesus, estava tomando café da manhã com as três filhas dele, Ana, Luzinete, e Marília.
    Pai: Vocês gostaram do peixe que eu trouxe?
    As meninas: Sim, gostei . . .
    Pai: E aí minhas filhas, o que vocês vão fazer pela noite?
    Marília: Ich, meu pai, você está muito velho, você já esqueceu sobre as festas de São João?
    Luzinete: A gente vai prà praça municipal pra festejar. A gente vai dançar toda a noite, até o pôr do Sol.
    Pai: Meu deus! Minhas filhas, vocês não viram o que aconteceu com sua irmã?
    Luzinete, Marília: Ela está grávida, pai.
    Pai: Sim, mas, vocês sabem como aconteceu?
    Luzinete, Marília: Quando um homem e uma mulher se amam muito . . .
    Pai: Não, não, isso não! Ela tem um filho do boto!
    Ana: Quem é filho do boto?
    Luzinete: Como seria possível?
    Pai: Vocês não têm escutado a lenda do boto?
    Marília: Não, como assim?
    Pai: Segundo a lenda, o boto do rio se transforma num rapaz branco e vai às festas das populações. Ele dança com as mulheres solteiras e as seduz. Não é assim?
    Ana: Sim, meu pai, sim, exatamente assim.
    Pai: Depois de namorar muito, ele volta para o rio, e desaparece. Mas . . . então, tenham muito cuidado porque ninguém sabe. Algo poderia acontecer com vocês. Tenham muito cuidado, tá?
    Meninas: Tá.
    Pai: Bom, tenho que ir para trabalhar agora. Bom, beijos, Tchau.
    Meninas: Tchau.
    Marília: Realmente você foi engravidada por um boto?
    Luzinete: Fale cara! Como seria possível? O que aconteceu?
    Ana: Idiotas. Claro que não! Foi meu namorado Maurizinho – as lendas são só pràs crianças! Divirtam-se, mas não façam bobagens.

    Luzinete: Aquele não, nem ele, não dá . . . Que pô isso!
    Marília: Luzi, olhe só, chegou um homem branquinho, bonitinho! Ele está vestido muito chique, você tem que ver!
    Luzinete: Oxente! Cadê ele, porque todos os garotos aqui são feios demais.
    Boto: E aí princesas. Tão lindas! Me chamo Piraia Guará. Quem quer dançar comi-i-i-i-igo . . . Desculpe, comi peixe.
    Luzinete: É meu!
    Marília: Eu vou dançar com ele.
    Luzinete: Você nem sabe dançar!
    Marília: Você é periguete, você não –
    Luzinete: Piriguete é você, vagabunda!
    Boto: Chega!
    Marília: Safada!
    Luzinete: Cara de pão!
    Boto: Então, quem vai receber uma visita da cegonha? Gostei muito do cheiro dela, mas aquela garota lá está bonitinha. Tão lindas! Tudo bem! Todas merecem uma visita . . . senão ela, que parece um homem. Pare! Tem mais peixe aqui?! Por favor, me dê esse peixe! Por favor . . . Ah, desculpe, sinto muito. Cadê?
    Luzinete: Piranha que pariu!
    Marília: Sua mãe!
    Luzinete: Minha mãe? É sua mãe! Seu avô!
    Marília: Meu avô? É seu avô!
    Boto: Calma, minhas queridas! Tem bastante boto . . . quer dizer . . . homem pràs duas. Então, vamos lá.
    Meninas: Vamos.

    Pai: E aí, foi o boto, ne?
    Marília, Luzinete: É
    Ana: Tão bonitinho.

  4. Clyde Sheble Says:

    Mais informação sobre a lenda do boto.

    A lenda do boto é uma lenda da região do norte, especialmente o estado Amazonas.
    Aqui são dois links para aprender mais sobre a lenda:
    http://www.rosanevolpatto.trd.br/lendabotorosa1.htm
    http://www.sumauma.net/amazonian/lendas/lendas-boto.html

    E aqui também é um link para o Youtube, para um vídeo sobre a lenda.

    A palavra ‘boto’ se aplica a uma espécie de mamífero, parecido com o golfinho, que mora na água doce.

  5. Marina Potoplyak Says:

    Transcrição de “Quando animais atacam!”

    Video Transcript: “Quando os animais atacam!”
    Equipe Abacaxi (Marina, Swetha, Christina, Jennifer, Daniel)

    A narradora (Jennifer C): Boa noite e bem-vindo de volta a “Quando os animais atacam!” Ha ouvido alguma vez uma historinha de enxames dos mosquitos atacando vilas ou coelhos assaltando crianças e pensé para se mesmo, como será isso possível? Bom, “Quando os animais atacam” e uma colecção de histórias verdadeiras sobre os ataques de animais. [AVISO: Estas histórias não são apropriadas para as crianças!] Nessa primeira história, vamos escutar as dois mulheres que estavam competindo do cão do trenó no seu equipe na Alaska nos Estados Unidos.

    Christina S: Bom, foi um dia normal. O dia a gente praticava como sempre, com nosso equipe de cães do trenó.
    Swetha N: A gente foi o melhor equipe na Alaska por vinte anos. Então estavamos praticando…
    CS: Repentinamente o lider dos cães, Balto, ele percebeu algo e começou de latir, mas a gente…
    SN: … começou descer o montanha e viu um alce…
    CS: Um alce grande, ele começou de correr, de perseguirnos…
    SN: A gente correu para nossas vidas
    CS: Eu virei e vi que ela foi no chão
    SN: Eu cai do trenó, e bati minha cabeça numa pedra. Eu fiquei insconsciente, só me lembro o som de cascos.
    CS: Eu fiquei correndo, mas quando eu chegei ao base da montanha eu não podia correr mais, tive que encarar o alce, mas os cães cercaram e perseguiram o alce, ele fugiu, e a gente foi seguro… finalmente, seguro…
    SN: Mas quando acordei minha perna foi quebrada, a gente nao pude participar nos jogos olímpicos, mas no meu tempo livre eu criei um grupo para todos quem tinham sofrido duma ataque dos alces, “alces ataques anônimo”, é bem popular!

    A narradora: Que estranho, né? Próximo, vamos a ver algum homem que estava zelando ao seu rebanho quando ele notou um comportamento muito estranho do seu rebanho.

    Daniel H: Eu estava deitado na grama como normal, né? E meu rebanho de ovelhas estava no pasto comendo grama. Tirava uma soneca quando de repente vi meu rebanho vindo pra mim atropelado… Eu tentei levantar, mas meu pé ficou dormido. Eu senti a pata de ovinos e ai tudo foi preto.
    Desde que perdi o meu rebanho eu parei de fazer trabalho como pastor, mas tá bom, porque ainda estou trabalhando com as ovelhas em meu novo trabalho, como açougueiro.

    [No próximo episodio: No campus da universidade de Texas em Austin, uma estudante foi atacada!]

    Marina P: Era um dia maravilhoso, o tempo maravilhoso, eu não tinha nada que fazer e fiquei no gramado desfrutando de tranquilidade e paz. Os esquilos que descendiam dos arvores parecíam tão simpáticos e bonitinhos. Eu pensei que eles só queriam saber que estava comendo porque estava comendo o sanduíche de Nutella. Pois esse esquilo me mordei dez vezes antes que o policial matou a besta com a pistola! E ainda não posso comer Nutella…

  6. Josh Starks Says:

    Animais Grandes e Pequenos
    Carmen quer mascote e não sabe qual mas cota ela quer.
    Carmen: Estou cansada dos animais de estimação normais. Eu quero algo exótico. Mas qual animal seria melhor para mim? Não quero nada demais grande, nem demais pequeno. Hmmmmm….(ela considera as possibilidades). O que vocês acham?
    Carmen olha para Ben.
    Ben: Você já pensou em encontrar um ornitorrinco como meu?
    Carmen: Um ornitorrinco, hein? Não, não pensei em encontrar um deles.
    Ben: Como que não? Meu ornitorrinco é o mais legal. Tem bico e pés de pato, cauda de castor, e o corpo e pele de lontra. Puxa! Três animais em um! Você só pode ganhar com eles.
    Carmen: Não sei. Você tem razão, mas o ornitorrinco guardaria minha casa contra ladrões?
    Ben: Claro que sim! Se você compra um ornitorrinco macha, ele tem uma espinha venenosa na perna traseira, e eles são vigilantes e muita protetoras. Meu ornitorrinco matou dois ladrões faz uma semana, nem despertei quando passou. Alem de atacar-me algumas vezes, é o animal perfeito!
    Carmen: Puxa!! Esse animal não é para mim.
    Barbara fala…

    Bárbara: Carmen, não escuta para ele! Se você quer um mascote muito legal e original, precisa procurar um macaco quatá.

    Carmen: Ah, sim! Eu nunca pensava neste! Você tem um macaco? Por que devo comprar um deles?

    Bárbara: pois, eles são muito inteligentes e bonitos, e são um pouco como uma boneca viva que pode ter para o resto da sua vida.

    Carmen: …não sei. Parece que necessitam muito trabalho para cuidar eles. Que são as contras de ter um macaco?

    Bárbara: pois, eles tem a tendência viver mais que trinta anos, levam muitas doenças, e quando eles estão zangados, eles gostam de tirar sua merda.

    Carmen: … neste caso, eu não estou segura que um macaco seria o animal perfeito para mim, mas obrigada!

    Josh e o mais legal.
    Carmen: Josh, você tem um elefante, ne? Como é?

    Josh: O elefante é um animal muito grande. Se você quer ter um elefante, tem que saber que precisa de muito espaço e 30 a 50 galões de água cada dia. Também passa 16 horas comendo um total de até 400 libras, do qual somente digere 40%, então…..(vídeo com caminhão de descarga)

    Carmen: É horrível!! Por que eu quereria um deles?!

    Josh: Claro! Porque é um elefante!!

    Carmen: Valeu, mas não acho que é o animal para mim.

    Carmen esta considerando as possibilidades………….

    Carmen: Já decidi. Vou comprar um macaco quatá.

    -FIM-

    Vocabulário:
    Estimação- Assessment
    Ornitorrinco- Platypus
    Bico- Beak
    Cauda- Tail
    Castor- Beaver
    Lontra- Otter
    Macaco Quatá- Spider monkey
    Zangado- angry

    FATOS DOS ANIMAIS MENCIONADOS AQUI:
    Macaco Quatá (Ateles geoffroyi):
    Peso Médio: 12 a 20 libras
    Expectativa de vida: 30 anos
    Eles são animais muito sociais e moram em comunidades de 30 indivíduos, são muito ágeis e passam todo seu tempo nos galhos da liteira. São encontrados em México, Centro America, e Colômbia.

    Ornitorrinco (Ornithorhynchus anatinus)
    Peso Médio: 2 a 5 libras
    Expectativa de vida: 12 anos
    Ainda que e mamífero, o ornitorrinco tem qualidades que não são comuns nesse reino: Como falou Ben tem bico e pés de pato. Eles põem ovos (a fêmea poe 1 a 3 ovos), e um dos poucos animais que são venenosos. São encontrados em o este de Austrália e Tasmânia.
    Elefante (ha três espécies diferentes: (Loxodonta africana, Loxodonta cyclotis, Elephas maximus):
    Peso Médio: 7, 000 a 13, 200 libras
    Expectativa de vida: 60 a 70 anos
    A vida social dos elefantes e muito interessante: Os machos tem vidas solitárias, enquanto as fêmeas moram em grupos com jerarquias matriarcais. O elefante tem o cérebro mais grande de animais terrestres com 11 libras (quase 4 vezes a peso do cérebro humano) e mostram auto-conhecimento (com provas com espelhos). Agora máfias em Tailândia usam elefantes com mendigos nas cidades para fazer dinheiro. Ter elefante como mascote e uma prática deplorável.

  7. Jennifer Cheek Says:

    “Quando os animais atacam” é um programa em que a gente vê estórias estranhas e chocantes de animais violentos no mundo. Vemos três estórias: um sobre um equipe de cães do treno competindo na Alaska quando estavam atacados por alces, um homem que foi atropelado por seu rebanho, e uma estudante da universidade que foi atacado por esquilos com muita fome.

    Vocabul ário novo em “Quando os animais atacam”

    Enxames: swarms
    Coelho: sheep
    Cão do trenó: sledding with a team of dogs
    Alce: moose
    Cascos: hooves
    Encarar: to look at someone or something, “face to face”
    Zelar: to watch over, “abide”
    Rebanho: flock (of sheep)
    Açougueiro: butcher
    Esquilo: squirrel

  8. Orlando Says:

    Time A: John, James, Meleena, Marcela.
    Os Animais

    Entrevista com Ió (Eeyore)

    Meleena: Oi pessoal, bom dia! Hoje eu sou a entrevista e eu estou falando com Ió. De Winnie the Pooh e com a terapeuta dele. Oi Ió, tudo bem?

    Ió: Tudo bem.

    Meleena: E Marcela, tudo bem?

    Marcela: Tudo bem, obrigada.

    Meleena: Marcela é a terapeuta do Ió. Ió eu quero falar sobre a sua experiência com o Winnie the Pooh e com o filme e tudo isso. Como é que se senti quando se pensa do tudo isso?

    Ió: Anteriormente, eu pensava que era um filme bom, gostava do emprego. Conheci muitos animais e a gente gosta de animais, eu gosto de animais, sou animal! E gostava muito do filme, más depois de algum tempo, encontrei, achei que a gente não era como pensava, por exemplo, você tem a Winnie the Pooh, eh? A gente pensava que era um urso bem contente, que era uma boa pessoa, más é bem abusante.

    Meleena: Ah, é?

    Ió: É, uma vez ele me bateu, porque não gostava do meu trabalho.

    Meleena: O Winnie the Pooh bateu em você?

    Ió: Isso. Bateu.

    Meleena: Nossa! E os outros animais, como é que é? A coruja, o tigre, o porquinho, como é que é as relações?

    Ió: É, acho que o tigre é uma boa pessoa, e um bom amigo de mim (é um bom amigo meu). O coelho, quase não falo com ele, más a coruja é uma pessoa mal, não gosto dele e ele não gosta de mim, sempre anda chamando nomes com a gente, é uma das pessoas que não gostam de falar com a gente.

    Meleena: E Marcela, o que é que você tem que falar sobre a condição do Ió?

    Marcela: Olha, a condição de Ió não é muito boa, o filme não foi bom para ele, a saúde mental dele agora é muito frágil, ele precisa de trabalhar muito, nós estamos trabalhando juntos para ele ficar melhor. Olha, foi muito difícil para ele quando Winnie the Pooh bateu nele, foi muito difícil, difícil de mais, e também foi difícil que ele perdeu seu rabinho tantas vezes, agora sem, más estamos trabalhando, acho que vai ficar muito melhor, está ficando melhor, não é isso?
    Ió: Se, isso.

    Meleena: Muito bom. E quanto tempo vai demorar?

    Marcela: Acho que vai tomar um ou dois anos para ele ficar cem por cento bem.

    Meleena: Ok, e Ió, você acha que você vai voltar para o filme, como ator?

    Ió: Em verdade, não sei, é possível, más não gosto do emprego já, é muito abusante, a gente, e não gosto de onde estou agora. O outro dia, a coruja me chamou um homem racista, e me fiz sentir deprimido, não me sinto bem, me sinto doente.

    Meleena: Ay, tadinho!

    Marcela: Não chore! Não chore! Tudo bem, tudo bem!

    Meleena: Ay, tadinho esse burro. E eu acho que isso é o final da entrevista hoje. Muito obrigada e até a próxima vez. bom dia e tchau!

    Vocabulário:

    Tadinho= Coitadinho.
    Coitadinho= Poor little thing. It becomes ‘tadinho’.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: