As gerações

Fala de gerações de pessoas. Inclui idéias da relação que existe entre pessoas de diferentes gerações. Fala também sobre outras épocas que você gostaria de ter vivido.

Vídeos de Conversa Brasileira

Video 15: Grandparents 1

Video 16: Grandparents 2

Vídeos de Portuguese Communication Exercises

Bom, para começar, aqui tem o site com os vídeos do Orlando em que a Kelly (São Paulo), o Diego (Fortaleza), a Milena (Rio de Janeiro) e a Vivian (Rio de Janeiro) falam de sua familia.

http://www.laits.utexas.edu/orkelm/ppe/adv06.html

Vídeos dos alunos da aula

Aqui vem os vídeos dos alunos, junto com a transcrição de tudo que dizem.

1.  James, Leonel, Monica (Fall 07):  Voltando para o passado

2. Lisa, Ryan, Daniel, Daniel (Fall 07): Orlando

3. Eduardo, Ebony, Lorena, Clyde, Shannon (Fall 08): Velhos

4.  Christina, Daniel, Jennifer, Marina, Swetha (Spring 10): Conversa Americana

5.  Barbara, Ben, Carmen, Joshua, Preston (Spring 10): Velhos Loucos Meninos Chatos

6. Anastacio, César, Marcy, Natalie (Spring 11): O explorador insistente

Advertisements

11 Responses to “As gerações”

  1. Orlando Says:

    Voltando para o passado

    Monica:Oi, Leonel. Como vai hoje?
    Leonel:Tudo bom, e você?
    Também, bom, mais ou menos. Hoje acordei com dor de tudo, de joelho, de tudo.
    L:Vem cá. Não posso ouvir.
    M:Digo que tenho muitas dores do corpo.
    L:Eu também. Tenho dor de joelhos. Não posso ouvir. Não posso ver.
    M:Eu não vejo mais também não.
    L:Acho que era melhor quando tínhamos quarenta anos.
    M:Acho que quarenta anos também. Não gostaria de ser muito mais jovem mas quarenta anos me parece boa idéia.
    L:Acho que também.
    Cientista:Oi, bom dia.
    L:Bom dia.
    C:Ouvi que vocês têm um problema.
    M:É, temos.
    C:Eu inventei uma máquina de tempo.
    L:Nossa!
    C:Vocês querem viajar a outro tempo?
    M e L:Queremos.
    C:Para onde vocês querem viajar?
    L:Queremos viajar a quando tínhamos quarenta anos.
    C:Quarenta anos? Vamos lá.
    M e L:Vamos lá.
    C:5 4 3 2 1
    M:Tenho que terminar meu trabalho. Acho que nã vou terminar antes da cinco da tarde.
    L:Trabalhar?
    M:É. Tenho que trabalhar muito.
    L:Não gosto de trabalhar.
    M:Eu também não gosto de trabalhar.
    C:Oi, vocês têm os relatórios? Preciso de seus relatórios agora.
    M:Ainda não termino.
    Chefe:Ainda não?
    L:Eu também não.
    Chefe:Vocês devem ficar ainda aqui.
    M:Mas eu não posso ficar mais tarde. Tenho que ir para a escola do meu filho.
    Chefe:Eu preciso dos relatórios.
    L:Esqueci que tínhamos que trabalhar quando tínhamos quarenta anos.
    M:Eu também.
    L:Que chato!
    M:Era problema grande encontrar como trabalhar e ter a familia também.
    L:Acho que era melhor quando tínhamos dezeseis anos. Vamos usar a máquina para ir a quando tínhamos dezeseis anos.Vou ligar para o cientista.Cientista?
    C:Oi.
    L:Precisamos viajar a quando tínhamos dezeseis anos.
    C:Muito bem. Vamos lá.5 4 3 2 1
    M:Era o melhor momento da minha vida. Tinha namorado, muitas amigas.Acho que, não, namorado não. Eu quero esquecer porque ele quebrou o meu coração.Tinha esquecido disso.
    L:Escola?. Eu não gosto da escola.
    M:Eu também não.
    L:Eu quero ficar em casa e assistir televisão.
    M:Eu também gostaria de fazer isso.
    Pai:Oi, meus filhos. Vocês já estudaram?
    L:Estudar não.
    M:Ainda não.Não tenho tempo. Tenho que ir com uma amiga.
    L:Não gosto de estudar.
    Pai:Vocês devem estudar.Têm que ficar em casa.
    L:Não gosto. Acho que era melhor quando tínhmaos oito anos.Você o que acha?
    M:Acho que também. Com oito anos éramos livres.
    L:Vou ligar para o cientista para que nos leve lá. Cientista?
    C:Oi.
    L:Precisamos ir a quando tínhamos oito anos.
    C:Bom, vamos lá. 4 3 2 1
    M:Como gosto tanto desse videojogo!É novo.
    L:Eu gosto também.
    M:Eu poderia ficar aqui todo o dia.
    L:Eu também.Acho que seria melhor ir ao cinema.
    M:Tá. Qual filme vamos assistir?
    L:Vamos ver American Gangster.
    M:Tá. Meu irmão me disse que é muito bacana esse filme. Vamos lá.
    L:Mas não temos a idade para assistir.
    M:É verdade.Para todos os filmes bons temos que ter dezeseis anos.
    L:É. Podemos beber uma cachaça.
    M:Acho que também não podemos beber cachaça ainda.
    L:Também não podemos beber. Acho que era melhor quando tínhamos 70 anos.
    M:Pode ser. Pelo menos…
    L:Tínhmos mais liberdade.
    M:Sabíamos muitas coisas. Tínhamos familia também.
    L:Quero voltar a nossa geração.
    M:Eu também.
    L:Acho melhor. Vou ligar para o cientista. Cientista, queremos voltar a nossa geração de novo.
    C:Vamos voltar ao futuro.

  2. Orlando Says:

    Cool Words Related to the Topic of Generations!

    Século = Century

    -So we were asked to explain what’s happening in this video. Well, this little story is loosely based on a novel by Virginia Woolf called ”Orlando”. In the book, a man from the 16th or 17th century wakes up one morning in the body of a woman in the future. This keeps happening to him throughout the story-he is constantly finding himself in different female bodies in different time periods. Er, at least I ”think” this is what happens in the book; I have never actually ”read” it but I was given a super-short synopsis of the book by one of the members of my group. If someone out there that’s reading this right now ”has” read the book and feels that my description of the storyline is wrong or bad then I apologize.

    http://en.wikipedia.org/wiki/Orlando:_A_Biography
    http://www.youtube.com/watch?v=jFMmMh288pE Orlando Movie Trailer
    http://www.youtube.com/watch?v=rLJntfdFaxE The Real Story Behind Virginia Woolf’s ‘Orlando

    Transcrição

    Monzingo: Algum ano no século dez e seis. O Don Ryan Orlando prefere usar as camisas do século dez e seis, mas o monte de roupa para lavar de Daniel já os comeu. Qué quase inesperada essa crise!
    Ryan: Como a vida no século dez e seis é boa! Tenho meus livros, tenho um pai rico e poderoso; qué pena que algum dia tudo vai acabar e eu vou morrer. Eu pregunto [that should be “pergunto (para mim)”] <> Eu não quero morrer. Eu quero viver para sempre e eu ”vou” viver para sempre!
    Monzingo: Algum ano nas décadas quarenta até a década sessenta.
    Lisa: Eu sabia que a vida no futuro seria boa! Acho que a vida no século vinte é melhor do que a vida no século dez e seis. Tudo é tão fácil e moderno.
    Monzingo: Algum ano depois.
    Kietzer: Você é nova aquí, né?
    Monzingo: Oi, Kietzer.
    Kietzer: Oi.
    Monzingo: Quem é ela?
    Kietzer: Ela é Berta. Berta, ele é Monzingo.
    Monzingo: Prazer.

  3. lorenamartinez Says:

    Objetivo
    O objetivo do vídeo é emfatizar as diferenzas culturais do trato dos jovens com os idosos. A história está basada num velhinho Brasileiro que vai para os Estados Unidos e descobre que nos Estados Unidos os jovens não tem respeito com os idosos. A história começa no Brasil, o velhinho é tratado com respeito lá e sempre tem preferênça no aeroporto, na fila para o banheiro. No entanto, quando o avião entra no território Americano, a gente começa ser mais grosseira com ele. Todo mundo é grosseiro com ele, o taxista e a moça na fila para trocar dinheiro. Ele está tirando fotos e perguta à um rapaz se pode tirar uma foto para ele. No entanto, o rapaz tenta roubar a cámara mas o velhinho começa bater ele. De repente a polícia chega e leva ao rapaz e ao velhinho para a prisão.
    Transcrição
    Cena 1
    Advogada: Senhor Clyde?
    Velho: Oi . . .
    Advogada: Eu sou Advogada Lorena, eu recebi seu caso, número A2400.
    Velho: Ah, que bom!
    Advogada: Mas, eu estou lendo isto…. e eu não estou entendo muitas coisas. Você poderá dizer o que aconteceu?
    Velho: Posso, obrigado! A coisa é que, começou tão normal . . .

    Cena 2
    Rapaz 1: Desculpe, senhor. Posso ajudar?
    Velho: Pode, obrigado!
    Rapaz 1: Você vai pra onde?
    Velho: Vou pros Estados Unidos, pra Nova Iorque, pra ver todas as coisas que eu sempre via na televisão, como a estátua de liberdade!
    Rapaz 1: Que legal, vamos lá.

    Cena 3
    Funcionária: Venha, venha pra frente, senhor.
    Velho: Obrigado, obrigado.
    Mulher 1: De nada.
    Funcionária: Obrigada. Você vai para Nova Iorque, senhor?
    Velho: Vou, é. Esperava toda minha vida pra conhecer aquele país, e agora que estou jubilado, vou fazer.
    Funcionária: Bom, tenha cuidado. As pessoas lá não são tão bem educadas como aqui no Brasil, sobretudo com os idosos. Mas estou segura que você vai gostar muito da cidade. Então, boa viagem!
    Velho: Tá, obrigado, tchau.
    Funcionária: Obrigada.

    Cena 4
    Aeromoça: Podem agora sair dos assentos para ir ao banheiro, localizado na frente e na traseira do avião.
    Rapaz 2: Você pode ir em frente de mim.
    Velho: Obrigado.
    Mulher 2: Pode, sim, por favor.
    Velho: Obrigado, moça. Você deve ser brasileira mesmo.
    Mulher 2: Na verdade, eu sou meio brasileira. A minha mãe é brasileira, mas o meu pai é americano mesmo. Então, tenho as duas culturas.
    Velho: Que bom. Deve ser bom ter as duas perspectivas.
    Mulher 2: É, sim.
    Aeromoça: Agora, estamos atravessando a fronteira aos Estados Unidos da América.
    Mulher 2: Desculpe, senhor. Acho que eu estava aqui primeiro.
    Velho: Mas, eu sou velho.
    Mulher 2: Isso eu posso ver, mas não estamos no Brasil mais. Aqui nos Estados Unidos, os velhos têm que esperar no fila como o resto de nós. Sai cara!
    Velho: O que é que é isso?
    Rapaz 2: Perdão, você está tentando furar na fila! A fila começa lá.
    Velho: Mas eu sou velho!
    Rapaz 2: Mas agora estamos nos Estados Unidos. Desculpe.
    Velho: Que tipo de país __ esse!

    Cena 5
    Velho: Desculpe, por favor, posso pegar minhas malas? Por favor . . .

    Cena 6
    Velho: Com licença, tenho que trocar Reais por Dólares . . .
    Funcionária: Não, não, não, não. Não me diga que você não vê essa fila aí. Não tenho tempo para isso não. Meu deus me ajude! Próxima pessoa!
    Gente: Velho! A fila está lá!
    Velho: Só é que não posso ficar a pé por muito tempo, viu? Fico com dor nas pernas.
    Funcionária: Veja. Todo mundo está ficando agitado por sua bobagem. Então, vá para lá, antes que você faça meu dia mais horrível.
    Velho: Eu só quero trocar algum dinheiro, por favor . . .
    Funcionária: Bom! Cadê seu dinheiro?
    Velho: Muito obrigado! Rapidinho, eu prometo!
    Gente: Oi velho! O fim da fila está aqui!
    Velho: Querida, meu dinheiro?
    Funcionária: Que dinheiro? Você não me deu dinheiro. Vocês viram ele me dar algum dinheiro?
    Gente: Não, eu não vi.
    Funcionária: Eu também não, então volte quando você tiver algum dinheiro para trocar. Perdão, próxima pessoa!
    Rapaz 3: Bom dia.

    Cena 7
    Velho: Taxi! Taxi!
    Taxista: Dentro do carro, caroá! Vamos lá!
    Velho: Obrigado por parar, o mundo aqui vai tão rápido. Me leve pro centro da cidade, por favor.
    Taxista: Com certeza . . . O que é que é isso?! Você deixou suas malas lá na calçada?
    Velho: De novo? Você não pode me ajudar?
    Taxista: Puxa vida! Gente, você acha que meu carro, meu taxi é uma casa de idosos? O tempo inteiro deve parar só porque você é idoso?
    Velho: Eu vou, eu vou, pare de gritar, menino. Puxa,
    Taxista: Puxa, próximo passageiro!
    Passageira: E aí? Toma sua mala!
    Taxista: Pra onde?
    Passageira: Taxista, pro centro! Que velho chato, né?
    Taxista: É isso aí.

    Cena 8
    Velho: Oi rapaz! Você poderia tirar uma foto de mim?
    Ladrão: Com certeza.
    Velho: Obrigado, obrigado.
    Ladrão: Pronto?
    Velho: Tô!
    Ladrão: Bom, um, dois . . .
    Velho: Puxa! Volte pra cá! Você acha que pode me roubar só porque sou velho? Vou te ensinar uma lição, seu . . .
    Ladrão: Ajuda, polícia, ajuda!
    Velho: Ó aqui, um agente da polícia! Eu tenho um problema urgente pra resolver, tipo, batata quente na mão.
    Oficial da polícia: Não quero ouvir nenhum barulho de vocês. Todo mundo vai pra a cadeia.
    Velho: Mas, ele me roubou!
    Oficial da polícia: Coloque as mãos atrás das costas . . . você também, coloque as mãos atrás das costas. Vamos para a cadeia, vamos.

    Cena 9
    Oficial da polícia: Para.
    Velho: Eu sou um homem acanhado. Nunca fiz nenhuma coisa contra a lei! Não entendo este país! Todo mundo está contra mim! Não guardam um lugar na fila pra mim, e por causa disso, estou preso!
    Ladrão: Não fique triste, velhinho. Aqui você não precisa de esperar na fila.
    Oficial da polícia: Dentro com vocês!

    Erros

    Poderia vs. Podera, nós quisimos usar poderia em vez de podera (will ve (podera) vs. Would be (poderia)

    Jubilado (espanhol) significa aposentado (portugues). Então é melhor usar aposentado. Nós usamos jubilado em vez de aposentado dois vezes. A segunda foi para casa de aposentados.

    È importante de mencionar que os americanos falam muito Tão…é importante de mencionar.

    Quando a avião aterrizó a aeromoça falou podem sair dos assentos~, mais deveria ser colocado podem levantar-se dos assentos. (não é necessário de colocar o –se, o reflexivo na fala dia dia.

    Vocabulário:

    estátua de liberdade
    assentos
    fila
    aeromoço/a
    atravessar
    furar a fila
    bobagem
    bagagem
    calçada
    porta-malas
    Oxente – xente
    casa de repouso
    asombrado
    pronto
    agente
    tipo
    batata quente na mão
    cadeia
    sacaneou (secanear)
    acanhado
    rsrsrs

    Links:

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Estatuto_do_Idoso http://direitodoidoso.braslink.com/05/estatuto_do_idoso.pdf http://www.interlegis.gov.br/cidadania/direitos/direitos-dos-idosos/

  4. Josh Says:

    Josh: Estou num crise. Em só três meses vou ter 25 anos e esse o idade quando o homem esta no seu melhor estado físico, mas estou com barrigão. Que posso fazer?

    Carmen: Alem disso vai ser verão e você por ali em sunga! rsrsrs

    Josh: e…

    Ben: Que, esta querendo fazer exercício?

    Josh: Sim, E chato mesmo, ne?

    Preston: Ontem a noite não pus dormir e vi na televisão um novo produto que e um equipamento que faca que cresçam os músculos com eletricidade.

    Josh: Bem rapidinho, ne? Mas a verdade e que eu gosto de fazer ao natural.

    Carmen: Nos anos setenta Arnold Scharzenneger advogava o uso de certas plantas para fazer melhor o exercício.

    Ben: Essa idéia e terrível.

    Carmen: Eu sei, mas achava engraçada.

    Bárbara: Olha, Preston, vem ‘cá! ‘ce lembra o que disse nossa instrutor de dança?Que a dança tem muitos benefícios? Pode ajudar a evitar a perdida de memora, e claro, e fantástico exercício!

    Preston: Sim, lembro, sim! Josh, você tem pensado em dança? É muito divertido, e fácil aprender!

    Josh: eu não sei… sou meio desajeitado e nem sei o pe esquerdo do direito, mas sim quer dançar, dançando.

    Bárbara: Puxa! Somente precisa ter um pouco de confidencia. Preston, vem ‘cá, vamos mostrar para Josh que dançar e muito fácil!

  5. Josh Says:

    Vocabulário:

    sunga- speedo

    barrigão- big ol’ belly

    desajeitado- clumsy

    aptidão física- fitness

    super-heróis- superheroes

    Parecem loucas essas idéias para estar com melhor aptidão física? Pois, deixe-me ti contar umas coisas. Aajonus Vonderplanitz recomenda que ninguém cozinha nenhuma coisa que vai comer, seja carne, leite, ou verduras. Vonderplanitz diz que a gente pode conseguir ser como super-heróis com essa dieta.

  6. Josh Says:

    Velhos Loucos, Meninos Chatos

    Neto1: Avos como vão? O que esta passando aqui?

    Avo (m): Meu neto. Que prazer que finalmente você chegou? Mas, você gosta de nossa festa??

    Neto 2: Avo, acho que e melhor se você baixa a musica um pouco mais. As orelhas estão doendo

    Avo (f): A gente adoro musica mais alto! Assim que a gente pode ouvir melhor.

    Neto (1): porque fazem festa?

    Avo (f): estamos celebrando antes que sairmos amanha para nossa aventura. Não sabemos se chegarmos com vida o não, e queremos sair com estilo.

    Neto (2): O que tipo da coisa vocês vão fazer? Por que não ficam em casa onde e mais seguro.

    Avo (m): Amanha, vamos ao Mendoza para ir de Pára-quedismo, e não queremos ficar aqui porque não temos tempo para estar seguro na vida que pode acabar em qualquer momento.

    Neto (1): E você não tem medo disso?

    Avo (f): Não, eu acho legal, e isso me da razão para cagar meus calcas em vez de incontinência

    Neto (2): Você precisa fazer algo mais seguro…

    Avo(m): Pois, depois disso vamos ir para espana para fazer o correio dos bois

    Neto (1): Isso não e seguro não

    Avó(f): Não, mas é muito divertido, e já estaremos na espana sua avô quer ver Ibiza também para que dançarmos numa raive.

    Neto (2): E, porque vocês querem fazer isso?

    Avô(m): Porque quando vocês terem a nosso idade, vocês quererão fazer malucou também.

    Neto (1): e depois disso, onde vão?

    Avo(f): vamos por as Himalayas, para subir o monte Everest. Queremos ser mencionados no livro de Guiness dos recordes mundiais como as pessoas mais velhos de subir ele.

    Neto (2): Puxa! A gente pode vir com vocês.

    Avo(m): Não Vocês são chatos, e nós não queremos que vocês estragarem nossa diversão.

    Neto (2): Pois, somos suas netos, e obrigatório ne? E podemos ajudar vocês durante esse viagem tão perigoso.

    Avo(m):. Não e obrigatório não.Quando vocês tiveram nossa idade, não vai ter medo de nada. Agente vai morrer mesmo.

    Vocabulário:

    Estragar- ruin

    correio dos bois- running of the bulls

    maluco- madman

    Pára-quedismo – sky diving

  7. Jennifer Cheek Says:

    Conversa Americana

    Marina: Oi meninas! O que é isso? O que é que voces trazeram?

    Christina: Isso? é o jantar…A gente comprou de Wendy’s depois da escola

    Jennifer: vem com brinquedo!!

    Marina: E porque voces fizeram isso? A gento ficou horas e horas na cozinha preparando o delicioso arroz com feijao!

    Daniel: Isso!

    Christina: pshh.. Ninguem come isso, é muito chato.. todo mundo come Wendy’s!

    Jennifer: é! e não vem com brinquedo!

    Swetha: ah! Voces devem probar um pouco de arroz com feijão, é gostoso!

    Marina: Mais purissima virgem Maria, meninas… nao são saudaveis! isso não é verdadeira comida! Parece de plastico!

    Swetha: bom, como foi a escola? Como estão os amigos?

    Jennifer: eu saquei boa nota no meu ensaio do ingles!

    Christina: No almoco o Walter me convidou para sair. A gente vai ao cinema sexta feira.

    Marina: Filha, voce é sua mae, não obstante! Voce não vai fazer nada com isso? Olha que roupa indecente que usa! Quem sabe o que eles vão fazer! Quando eu era jovem, jamais foi com rapazes no cinema! So com amigas.

    Daniel: Isso!

    Swetha: Ah os tempos mudaram mãe! As coisas não são o que costumava ser quando estavam namorando vovo!

    Daniel: isso

    Jennifer: Avo, voce quer probar hashbrowns?

    Marina: Bem, talvez um pouquinho…E um pouquinho mais…

    Christina: Talvez eu possa comer um pouco de arroz também, somente porque voces querem…

    Swetha: Tá Bom!

  8. abacaxi Says:

    An American family sits down to dinner (Portuguese dubbing, of course) and Brasilians are given a chance to learn a little bit about fast food versus “sit down” dinners in American culture. A little argument that comes up between the older and the younger generation makes this an interesting Conversa Americana. ;-]

    Vocabulario e notas de cultura

    probar: to test, try food

    roupa indecente: “skanky clothes”

    mais purissima virgem Maria: extreme vocative, curse; similar to “nossa”

    Sacar boa nota: to “get a good grade”

    Não obstante: “however”

    gostoso: tasty

    brinquedo: toy

    bife: beef

  9. Bernardo Sanchez Says:

    Oi Prof. Kelm,

    Espero voce goste dos links

  10. Natalie Garza Says:

    Uma recriação do filme, Up

    Narrador: Em um dia como tantos outros, o Sr. João resolveu ligar pra uma estação de rádio e pedir os passagens grátis para passar uma semana inteira no Brasil que a estação estava oferecendo. Felizmente, o Sr. João era a pessoa numero dez que ligou pra lá e ganhou as passagens. O apresentador da rádio informou para ele que alguém ia pra a a sua casa e ia dar as passagens para o senhor Joao no final do dia. Ansioso de pôr as mãos sobre as passagens porque era o seu sonho viajar para Rio de Janeiro e dançar com uma menina carioca, o Sr. João esperou pronto e perto da porta da sua casa.
    Carlinhos: Boa tarde senhor, meu nome é Carlinhos e eu sou um explorador da natureza da tribo 54, cabana 12. Sera que o senhor esta precisando de alguma ajuda hoje?

    Sr. João: Não.

    Carlinhos: Eu podia ajudá o senhor atravessar a rua…

    Sr. João: Não.

    Carlinhos: Então, poderia ser seu quintal!

    Sr. João: Não.

    Carlinhos: Entao, poderia ser seu porao

    Sr. João: Não.

    Carlinhos: Eu tenho que ajudar o senhor atravessar alguma coisa!

    Sr. João: Não não, eu estou muito bem.

    Carlinhos: Boa tarde senhor, meu nome é Carlinhos e eu sou um explorador da natureza da tribo…

    Sr. João: …Pode continuar

    Carlinhos: Boa tarde…

    Sr. João: pasa logo pra o final!

    Carlinhos: olhe aqui (pointing to chest), eu recebi eles por explorar a natureza. Precisso de mais um botao pra passar de pequeno pra grande explorador “a natureza tem que ser explorada!” Aaaarrrrrrrrrhhhhhhh!

    Sr. João: Puxa! A gente não pode ter um minutinho de tranquilidade. Saia da minha propriedade e nunca mais volte criança do diabo!
    (César fecha a porta e alguem bate nela de novo. César gets upset and grabs a sandal to trhow at the kid, but he realizes that it was the radio person instead)

    Pessoa: A gente achava que o homem que ganhou as passagens era um velho bom, mas você parece muito ruim. Eu devo ter o endereço errado. Puxa!

    Sr. João: Ei, espere, espere, as passagens são meus! espere, eles são meus!

    Carlinhos: Boa tarde, meu nome é Carlinhos…

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: